15 fatos sobre Alan Turing – o pai da computação

Mais de seis décadas após sua morte, a vida de Alan Turing continua sendo um ponto de fascínio – mesmo para pessoas que não têm interesse em seu trabalho inovador em ciência da computação. Ele foi o tema de uma peça e uma ópera, e referenciado em vários romances e numerosos álbuns musicais. O filme de Benedict Cumberbatch sobre sua vida, O Jogo da Imitação, recebeu oito indicações ao Oscar. Mas quem era Turing na vida real? Aqui estão 15 fatos sobre Alan Turing – o pai da computação, que nasceu em Londres em 23 de junho de 1912.

@K00T25/WIKIMEDIA COMMONS

 

Alan Turing é o pai da computação moderna

Turing foi essencialmente o pioneiro da ideia de memória de computador. Em 1936, Turing publicou um artigo seminal chamado “On Computable Numbers”, que o The Washington Post chamou de “o documento fundador da era do computador”.

No artigo filosófico, ele hipotetizou que um dia, poderíamos construir máquinas que poderiam computar qualquer problema que um humano pudesse, usando 0s e 1s. Turing propôs máquinas de tarefa única chamadas máquinas de Turing que seriam capazes de resolver apenas um tipo de problema matemático, mas um “computador universal” seria capaz de resolver qualquer tipo de problema lançado nele, armazenando código de instrução na memória do computador.

As ideias de Turing sobre armazenamento de memória e uso de uma única máquina para realizar todas as tarefas estabeleceram a base para o que se tornaria o computador digital.

Em 1945, enquanto trabalhava para o Laboratório Físico Nacional do Reino Unido, ele criou a Automatic Computing Machine, o primeiro computador digital com programas armazenados.

Os computadores anteriores não tinham armazenamento de memória elétrica e precisavam ser religados manualmente para alternar entre os diferentes programas.

Desempenhou um papel fundamental na vitória da Segunda Guerra Mundial

Turing começou a trabalhar em Bletchley Park, o quartel-general secreto da Grã-Bretanha para seus decifradores durante a Segunda Guerra Mundial, em 1939.

Segundo uma estimativa, seu trabalho pode ter encurtado a guerra em até dois anos. Ele tem o crédito de salvar milhões de vidas.

Turing começou imediatamente a trabalhar no projeto de uma máquina de quebra de código chamada Bombe (uma atualização de uma máquina polonesa anterior) com a ajuda de seu colega Gordon Welchman.

O Bombe encurtou as etapas necessárias para a decodificação, e 200 deles foram construídos para uso britânico durante o curso da guerra. Eles permitiram que decifradores de códigos decifrassem até 4.000 mensagens por dia.

 

Veja também:

Para quem viveu: A internet nos anos 90

Continue com: 15 fatos sobre Alan Turing – o pai da computação

 

Sua maior conquista foi quebrar a Enigma, um dispositivo mecânico usado pelo exército alemão para codificar mensagens seguras.

Foi quase impossível decifrar sem a cifra correta, que as forças alemãs mudavam todos os dias. Turing trabalhou para decifrar as comunicações navais alemãs em um ponto em que os submarinos alemães estavam afundando navios que transportavam suprimentos vitais através do Atlântico entre as nações aliadas.

Em 1941, Turing e sua equipe conseguiram decodificar as mensagens da Enigma alemã, ajudando a desviar os navios aliados dos ataques de submarinos alemães. Em 1942, ele viajou para os EUA para ajudar os americanos em seu próprio trabalho de codificação.

Quebrou as regras e escreveu para Winston Churchill

Winston Churchill @GETTY IMAGES

No início, as operações de Bletchley Park foram prejudicadas pela falta de recursos, mas os apelos por uma melhor equipe foram ignorados pelos funcionários do governo.

Assim, Alan Turing e vários outros decifradores de código em Bletchley Park passaram por cima de suas cabeças para escrever diretamente ao primeiro-ministro Winston Churchill. Um dos decifradores de código de Bletchley Park entregou a carta em mãos em outubro de 1941.

“Nosso motivo para escrever diretamente para você é que, durante meses, temos feito tudo o que podemos através dos canais normais e que nos desesperamos com qualquer melhoria antecipada sem a sua intervenção”, escreveram eles a Churchill.

“Sem dúvida, a longo prazo esses requisitos específicos serão atendidos, mas, enquanto isso, meses ainda mais preciosos terão sido perdidos e, como nossas necessidades estão se expandindo continuamente, vemos pouca esperança de algum dia ter uma equipe adequada.”

Em resposta, Churchill imediatamente mandou uma mensagem para seu chefe de gabinete: “Certifique-se de que eles tenham tudo o que querem em extrema prioridade e me informe que isso foi feito”.

Turing era excêntrico

Como muitos gênios, Turing tinha suas excentricidades. Ele usava uma máscara de gás enquanto andava de bicicleta para combater suas alergias.

Em vez de consertar a corrente com defeito de sua bicicleta, ele aprendeu exatamente quando desmontar para prendê-la no lugar antes que escorregasse.

Ele era conhecido em Bletchley Park por acorrentar sua caneca de chá a um radiador para evitar que fosse levada por outros funcionários.

 

Veja também:

Seu smartphone é um vampiro. Veja como lutar contra isso

Continue com: 15 fatos sobre Alan Turing – o pai da computação

 

Rodou 100 km de bicicleta para chegar ao primeiro dia de aula

Embora fosse considerado um estudante comum, Turing foi dedicado o suficiente à sua educação que, quando uma greve geral o impediu de pegar o trem para seu primeiro dia em seu novo internato de elite, o garoto de 14 anos andou de bicicleta os 100 km.

Quase se tornou um atleta olímpico

@Domínio Público

Turing começou a correr na escola e continuou ao longo de sua vida, correndo regularmente 82 km entre Cambridge e Ely enquanto era bolsista no King’s College.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ele ocasionalmente corria os 64 km entre Londres e Bletchley Park para reuniões.

Ele quase se tornou um atleta olímpico também. Ele ficou em quinto lugar em uma maratona de qualificação para as Olimpíadas de 1948 com um resultado de 2 horas e 46 minutos (11 minutos mais lento do que o vencedor da maratona olímpica de 1948).

No entanto, uma lesão na perna impediu suas ambições atléticas naquele ano.

Depois disso, ele continuou a concorrer para o Walton Athletic Club e atuou como seu vice-presidente. “Tenho um trabalho tão estressante que a única maneira de o tirar da cabeça é correndo muito”, disse ele uma vez ao secretário do clube. “É a única maneira de conseguir algum alívio.”

Foi processado por ser gay

Em 1952, Turing foi preso após relatar um roubo em sua casa. No decorrer da investigação, a polícia descobriu o relacionamento de Turing com outro homem, Arnold Murray.

Relações homossexuais eram ilegais no Reino Unido na época, e ele foi acusado de “indecência grosseira”. Ele se declarou culpado a conselho de seu advogado e optou por se submeter à castração química em vez de cumprir pena na prisão.

Recentemente o Governo Britânico pediu desculpas

Em 2009, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, apresentou um pedido público de desculpas a Turing em nome do governo britânico. “Alan e os muitos milhares de outros gays que foram condenados como ele foi condenado de acordo com as leis homofóbicas foram tratados de forma terrível”, disse Brown.

“Este reconhecimento do status de Alan como uma das vítimas mais famosas da homofobia na Grã-Bretanha é mais um passo em direção à igualdade, há muito esperado.”

Reconhecendo a dívida da Grã-Bretanha para com Turing por suas contribuições vitais para o esforço de guerra, ele anunciou, “em nome do governo britânico e de todos aqueles que vivem livremente graças ao trabalho de Alan, tenho muito orgulho de dizer: desculpe, você mereceu muito melhor.”

Sua condenação não foi realmente perdoada, até 2013, quando ele recebeu um raro perdão real da Rainha da Inglaterra.

Há uma lei, no Reino Unido, nomeada após Alan Turing

Turing foi apenas um dos muitos homens que sofreram depois de serem processados ​​por sua homossexualidade sob as leis de indecência britânicas do século XIX. A homossexualidade foi descriminalizada no Reino Unido em 1967, mas as condenações anteriores nunca foram anuladas. A Lei de Turing, que entrou em vigor em 2017, perdoou postumamente homens que haviam sido condenados por praticar sexo gay consensual antes da revogação. De acordo com um dos ativistas que fizeram campanha pelos perdões em massa, cerca de 15.000 dos 65.000 homens gays condenados pela lei obsoleta ainda estão vivos.

Ele se envenenou… talvez…

Ainda há um pouco de mistério em torno da morte de Turing aos 41 anos. Turing morreu de envenenamento por cianeto, no que se acredita ter sido um suicídio. A vida de Turing virou de cabeça para baixo com sua prisão. Ele perdeu o emprego e o certificado de segurança.

Por ordem do tribunal, ele teve que tomar hormônios destinados a “curar” sua homossexualidade, o que o fez crescer seios e o tornou impotente. Mas nem todos estão convencidos de que ele morreu por suicídio.

Em 2012, Jack Copeland, um estudioso de Turing, argumentou que as evidências usadas para declarar a morte de Turing um suicídio em 1954 não seria suficiente para encerrar o caso hoje. A

maçã comida pela metade ao lado da cama, considerada a fonte de seu envenenamento, nunca foi testada para detectar cianeto. Ainda havia uma lista de coisas a fazer em sua mesa, e seus amigos disseram ao legista na época que ele parecia de bom humor.

A mãe de Turing, na verdade, afirmou que ele provavelmente se envenenou acidentalmente enquanto fazia experiências com o produto químico em seu laboratório doméstico. (Ele era conhecido por sentir o gosto de produtos químicos ao identificá-los e poderia ser descuidado com as precauções de segurança.)

Ele não teve seu devido reconhecimento em vida

@PUNISHAR/WIKIMEDIA COMMONS

Alan Turing foi um matemático respeitado em sua época, mas seus contemporâneos não sabiam toda a extensão de suas contribuições para o mundo.

O trabalho de Turing quebrando a máquina Enigma permaneceu confidencial muito depois de sua morte, o que significa que suas contribuições para o esforço de guerra e para a matemática foram apenas parcialmente conhecidas do público durante sua vida. Foi só na década de 1970 que seu papel instrumental na vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial se tornou público com a divulgação da história da Enigma.

As técnicas reais que Turing usou para descriptografar as mensagens foram secretas até 2013, quando dois de seus documentos de Bletchley Park foram liberados para os Arquivos Nacionais Britânicos.

O teste de Turing ainda é usado para medir a inteligência artificial

Uma máquina pode enganar um humano fazendo-o pensar que está conversando com outra pessoa? Esse é o ponto crucial do teste de Turing, uma ideia desenvolvida por Turing em 1950 sobre como medir a inteligência artificial. Turing argumentou em seu artigo “Computing Machinery and Intelligence” que a ideia de máquinas “pensando” não é uma forma útil de avaliar a inteligência artificial.

 

Veja também:

9 aspectos dos telefones antigos que podem confundir os jovens

Continue com: 15 fatos sobre Alan Turing – o pai da computação

 

Em vez disso, Turing sugere “o jogo da imitação”, uma forma de avaliar o quão bem-sucedida uma máquina pode imitar o comportamento humano. A melhor medida de inteligência artificial, então, é se um computador pode ou não convencer uma pessoa de que é humano.

Essa linha de investigação é muito mais branda do que outras, incluindo a teoria de um autor de que ele foi assassinado pelo FBI para encobrir informações que teriam sido prejudiciais aos EUA.

Algumas pessoas consideram que o teste de Turing está desatualizado

Conforme a tecnologia avançou, alguns acham que o teste de Turing não é mais uma forma útil de medir a inteligência artificial.

É legal pensar que os computadores podem falar como uma pessoa, mas a nova tecnologia está abrindo caminhos para que os computadores expressem inteligência de outras maneiras mais úteis.

A inteligência de um robô não é necessariamente definida pela possibilidade de fingir ser humano – carros autônomos ou programas que podem imitar sons baseados em imagens podem não passar no teste de Turing, mas certamente têm inteligência.

Criou o primeiro programa de xadrez de computador

Inspirado pelos campeões de xadrez com quem trabalhou em Bletchley Park, Alan Turing criou um algoritmo para uma versão inicial do xadrez de computador – embora, naquela época, não houvesse um computador para testá-lo.

Criado com papel e lápis, o programa Turochamp foi projetado para pensar dois movimentos à frente, escolhendo os melhores possíveis.

Em 2012, o grande mestre do xadrez russo Garry Kasparov jogou contra o algoritmo de Turing, vencendo-o em 16 lances. “Eu o compararia a um carro antigo – você pode rir deles, mas ainda é uma conquista incrível”, disse Kasparov em um comunicado após a partida.

Em 2012, foi lançada uma edição de Banco Imobiliário com o tema: Alan Turing

Em 2012, o Banco Imobiliário lançou uma edição de Alan Turing para comemorar o centenário de seu nascimento. Turing gostava de jogar Banco Imobiliário durante sua vida, e a edição do Banco Imobiliário com o tema Turing foi desenhada com base em um tabuleiro desenhado à mão criado em 1950 por seu amigo William Newman.

Em vez de hotéis e casas, apresentava cabanas e quarteirões inspirados em Bletchley Park e incluía fotos de Turing nunca antes publicadas.