Genial.club

Para quem viveu: A internet nos anos 90


@Record Journal

A década de 90 foi um real marco na história da computação. A recente WWW (World Wide Web) começou a ficar disponível de forma fácil ao público geral de vários países, logo, houve maior facilidade em se comunicar com outras pessoas.

Aquela época que hoje parece tão longínqua, a coisa era bem diferente. Não era tão fácil ou rápido ser respondido ou encontrar algo usando o computador.

Assim começaram a surgir as ‘netiquetas’, ou ‘etiquetas para internet’, foi o começo de tudo.

Os e-mails já contavam com assinaturas, mas não era bem assim

Ter um e-mail com assinatura muito longa ou contendo imagens ou itens que não fossem realmente necessários não eram bem vistos. Lembre que na maior parte dos casos as pessoas estavam conectadas em uma velocidade inferior há 56kbps! Só para fins de comparação, hoje qualquer plano de 4G oferece no mínimo 50mbps – ou seja, a conexão era NO MÍNIMO, 914 vezes mais lenta.

Não adianta esperar respostas imediatas

Aquela agonia sentida por alguns mais ansiosos enquanto usam o Whatsapp ou outro mensageiro, quase não existia. Você poderia mandar um e-mail ou entrar em um chat através do IRC (usando o programa mIRC no Windows, por exemplo) e mesmo assim não havia essa urgência toda em saber a resposta do ‘outro lado da conversa’.

Chamar a atenção de uma pessoa que estava do outro lado para que responde-se mais rápido poderia ser considerado até um gesto ofensivo.

@mIRC programa de bate papo para IRC desenvolvido por Khaled Mardam-Bey. A versão da Screenshot é de 1996

Escrever em maiúsculo era uma ofensa!

Em uma época em que a falta de recursos visuais ocorria devido a baixa velocidade da rede ou até mesmo a baixa capacidade dos computadores conectados a ela, escrever em ‘caps lock’ (maiúsculo) era algo não muito bem visto.

Se alguém escreve-se usando maiúsculo, era bem provável que alguém pergunta-se: “porque você está gritando?”

Figuras eram textos

Imagine que você estava em um lugar em que não era possível publicar imagens ou emoticons coloridos, animados ou qualquer coisa assim. Qual era a saída? Utilizar texto para transmitir sentimento! Mas um texto “curto” que fosse facilmente interpretado.

Alguns que eram muito usados e não são mais vistos: =D =) =( =P

Essa época da internet pode ser comparada a ‘tv em preto e branco’ se comparado a hoje.

Não pergunte a ninguém como usar a internet

O engraçado desta pequena regra é que ela se aplica para pessoas que já estão navegando na internet. Mas o motivo deste cuidado todo era muito simples: Trojans.

Um Trojan é uma espécie de vírus que pode permitir que o ‘atacante’ tomasse conta de seu computador! Em uma época em que não haviam tantas opções de antivírus ou outros mecanismos de proteção, era bem comum alguém receber um arquivo achando que era uma foto e ter seu computador infectado – e isso quase sempre ocorria enquanto ‘um usuário precisava de ajuda’.

Pode parecer meio estranho, mas acontecia muito! Em 1998, existia um “Trojan da zoeira” que depois de executado, permitia ao “atacante”, abrir e fechar o drive de cd-rom, faz o drive de disquete tocar alguma musiquinha usando suas agulhas leitoras e até fazer o monitor piscar. Ele não era exatamente perigoso, mas era muito usado para fazer com que usuários com menos conhecimento ficassem desesperados.

Pedir fotos apenas depois de um tempo

Em uma época em que não haviam muitos dispositivos que pudessem digitalizar suas fotografias, você deveria guardar elas (suas fotos) apenas para situações mais interessantes.

Logo, para começar: Você não sabia exatamente com quem estava falando em uma sala de bate-papo aberta! Pedir fotografia logo de começo era algo tido como estranho e fazia com que os internautas pensassem: “Pera aí, mas já?”

Então pedir por fotografias era algo que precisava de um pouco de tempo de conversa. Não havia essa exposição toda de hoje em dia.

@Engadget

Existia uma “hora do caos” para conectar

Os provedores de internet mantinham ‘várias e várias linhas telefônicas’, e era através delas que um usuário/internauta podiam se conectar a internet. Mas a ‘hora do caos’, era a hora que todo mundo queria conectar ao mesmo tempo – logo – as linhas ficavam todas ocupadas e era bem provável que você não conseguisse realizar o procedimento.

Então era recomendado conectar antes ou depois desse ‘horário de pico’.

@Amigos jogando em rede local em 1999

Os trolls sempre existiram

O “anonimato” que a internet pode causar em uma sala de bate papo ou até mesmo um e-mail “fake” sempre foi o principal artíficio dos trolls! Isso ocorre desde os anos 90, quando fóruns (muito populares na época), eram usados para trocar informações sobre determinado assunto. Mesmo na época, sempre havia aquele “espírito de porco” que só queria iniciar um “flamewars”, que para época era como os trolls chamavam sua interação com a intenção de causar “treta”.

Quando os gifs começaram a ser populares

Os gifs animados (que utilizamos até hoje) surgiram na década de 90. Na época com menor intensidade e claro, menor qualidade – era muito comum entrar em um site todo enfeitado de gifs animados… A maior parte deles no entanto dizia alguma coisa como “em construção”.

@Gif de Beavis and Buttered, uma junção de internet, cultura popular e desenho animado da MTV no final dos anos 90

Contador de visitas?

Sim, era muito comum que os sites tivessem um contador de visitas para mostrar ao seu público que até então, mais de 10 mil pessoas já haviam acessado o endereço (o número é só um exemplo).

Na época, ter um contador de visitas com um número alto (e olha que não era nem tão alto assim) era uma espécie de status como os seguidores do Instagram hoje em dia.

Música de fundo em sites horrivelmente feios

Já nos anos 90 a internet começou a se dividir. De um lado já existiam projetos fantásticos como portais de notícia de empresas grandes – de outro – haviam sites sem tanta estrutura (a maior parte das vezes até hospedados em algum lugar que oferecia 1 megabyte para seu site de forma grátis).

Logo, tínhamos limitação de tamanho e falta de “profissionalismo”. Neste tempo surgiram os “fundos musicais” – que começavam a tocar logo que o site era carregado.

É bem provável que a maior parte das pessoas que começaram a utilizar a internet depois dos anos 2000 imagine que eram músicas como um arquivo MP3, mas eram arquivos MID que basicamente faziam: bep beeep bep beeep e com isso formavam uma melodia.

O Internet Explorer sempre foi ruim

O primeiro navegador a realmente popularizar foi o Internet Explorer! Isso ocorreu por que a partir de uma das versões do Windows ele começou a vir previamente instalado. Voltando a afirmar que em uma época em que tudo era muito novo, apesar de existirem outros navegadores – as pessoas não sabiam baixar e instalar um outro navegador. Logo o Internet Explorer chegou a dominar mais de 90% do mercado, sendo o principal navegador no mundo por um bom tempo.

Mas voltando ao assunto, SIM, ele já era horrível na época. Os ‘crashs’ eram constantes, era lento e não tinha interatividade real alguma.

MP3? Você precisava ser legal e enviar primeiro

Quase no finalzinho da década de 90, surgiu o Napster. Uma iniciativa pioneira para época que permitia que qualquer pessoa baixa-se um arquivo MP3 e ouvisse as músicas de suas preferência no seu computador (nada de Spotify para a época).

O que ocorre que para baixar músicas com tranquilidade, você precisava acumular “pontos”, e para acumular estes “pontos”, você precisava enviar músicas primeiro.

Você não enviava músicas para um servidor, enviava para outros usuários que por sua vez podiam passar as músicas para você.


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Oops, você está offline.