Sponsored Links

As icônicas vacas azuis da Letônia

Antes levadas à beira da extinção, as vacas azuis da Letônia, um símbolo orgulhoso do país báltico, estão voltando nas últimas duas décadas.

Originalmente encontrado apenas na costa do Báltico na região de Kurzeme, vacas com peles de ultramar azul claro ou escuro agora podem ser encontradas pastando em todo o interior da Letônia.

Na era soviética, eles foram quase extintos, com apenas alguns espécimes sobrevivendo ao abate. Mesmo no ano 2000, havia apenas 18 vacas azuis na Letônia, mas hoje são cerca de 1.500. A raça única é agora considerada um símbolo de identidade nacional.

vacas azuis da Letônia

Reza a lenda que as vacas azuis ganham a cor do mar, mas o fato é que elas nascem quase beges, e vão mudando de cor aos poucos com o passar do tempo.

O pigmento que colore o pelo das vacas de azul escuro também afeta a carne do animal, produzindo uma carne excepcionalmente escura e um pouco desagradável para alguns fãs de carne bovina.

As vacas azuis da Letônia produziam menos leite do que o gado médio – 5.000 litros por vaca por ano em comparação com 8.000 para a raça popular holandesa, por exemplo – e mesmo sendo considerado mais saudável e nutritivo, os soviéticos o consideravam uma desvantagem.

vacas azuis da Letônia

Não apreciando os animais por suas qualidades e não por suas deficiências, os soviéticos decidiram substituir a vaca azul da Letônia por raças de gado mais genéricas que produziam mais carne bovina e leiteira. Isso fez com que a vaca azul quase fosse extinta. Felizmente, a peça foi salva por uma peça de teatro.

Na década de 1970, o dramaturgo letão Gunars Priede lançou a peça “The Blue One” (“O Azul” – em tradução literal), um sucesso retumbante que trouxe as vacas azuis da Letônia de volta à consciência pública e se tornou um símbolo do desaparecimento da identidade nacional.

Em 2006, foi fundada a Blue Cow Association (Associação das Vacas Azuis), com o objetivo principal de salvar a raça.

vacas azuis da Letônia

As vacas azuis da Letônia não apenas parecem legais, mas são mais resistentes do que a maioria das raças, sendo capazes de “viver o ano todo ao ar livre, mesmo durante as geadas de inverno, que muitas outras raças de gado não podem suportar”, segundo a AFP.

Também é aparentemente resistente ao vírus da leucose bovina ( conhecida como leucemia bovina), o que pode ajudar os cientistas a identificar um gene que pode beneficiar outras raças de vacas no futuro.

Leia também:

Mulher se casou com vaca e afirma que é seu ‘marido reencarnado’

 

Temporal em Petrópolis, RJ e records de chuvaExpulsos do Big BrotherCuriosidades – GTA V