Os cães podem compreender as emoções humanas?

Sempre que eu choro, meu poodle, pula no meu colo e me cutuca com o nariz. A intuição dele é única ou os cães podem compreender as emoções humanas?

De acordo com um estudo recente, a resposta é sim.

THINKSTOCK

 

Veja também:

Pessoas sentem mais empatia por cães do que por humanos

Continue com: Os cães podem compreender as emoções humanas?

Attila Andics, no Grupo de Pesquisa de Etologia Comparada MTA-ELTE em Budapeste, persuadiu 11 caninos a ficarem imóveis em uma ressonância magnética por 10 minutos de cada vez.

Enquanto os filhotes ouviam cerca de 200 fragmentos de vozes humanas, latidos, grunhidos e barulho do ambiente, os pesquisadores observaram sua atividade cerebral.

Eles descobriram que quando Fido ouviu seus irmãos caninos vocalizando, uma região particular em seu cérebro tornou-se muito ativa. A área é comparável àquela que os humanos possuem, que acende ao ouvir o som da própria espécie.

E quando Fido ouviu vozes humanas e de cachorro, neurônios em uma pequena área na parte de trás do cérebro, atrás da orelha, dispararam.

Esta porção de neurônios no cérebro dos cães é semelhante a uma em humanos conhecida como “área da voz”.

Em humanos, essa região auxilia na compreensão da intenção emocional de quem fala, ajudando-nos a diferenciar sarcasmo de nojo, por exemplo. Nos cães, essa área responde à emoção nas vozes. Não os ajuda a entender as palavras, mas permite que decifrem as emoções – então, Fido entende a felicidade e a tristeza.

Os cães não têm simplesmente uma região análoga aos humanos; eles realmente agem como humanos também. “Quando você olha como os cães respondem a sinais emocionais nos sons, é muito semelhante à como os humanos respondem”, disse Andics à NPR.

Os cães também captam pistas de contexto. “Por exemplo, quando você ri, ‘Ha ha ha’, tem peças curtas e rápidas”, disse Andics. “Mas se você tornar as peças mais longas, ‘Haaaa, haaaa, haaaa’, começa a soar como choro ou choramingo. É nisso que as pessoas – e os cães – prestam atenção.”