Sponsored Links

Este babuíno trabalhou em uma ferrovia por 9 anos sem nunca cometer um único erro

Jack, o babuíno, trabalhou no sistema ferroviário na África do Sul por 9 anos sem cometer um único erro.

Babuíno, ferrovia
Wikimedia Commons – Jack operando os interruptores ferroviários.

Quando James “Jumper” Wide trabalhou para o serviço Cape Town – Port Authority Railway, ele desenvolveu o hábito de pular de um vagão para outro, mesmo quando os trens estavam em movimento.

Um dia, em 1877, ele julgou mal seu salto um pouco demais e caiu sob o trem em movimento.

Jumper sobreviveu, embora o trem tenha cortado ambas as pernas na altura do joelho. Devastado, mas não desanimado, Jumper fez duas pernas novas com pinos de madeira e conseguiu um emprego na estação de Uitenhage. Ele até construiu um carrinho de madeira para ajudá-lo a se locomover, mas apesar das adições, ele ainda estava tendo problemas.

Entra Jack.

JumpeR encontrou Jack no mercado local, conduzindo uma carroça de bois.

Ficou impressionado com sua inteligência e decidiu contratá-lo para ser seu novo assistente de trabalho. Eventualmente, Jack aprendeu a empurrar Jumper para trabalhar em seu vagão, mudar os sinais do trem e até mesmo entregar as chaves aos condutores.

Ele rapidamente se tornou um ativo inestimável para o trabalho de Jumper.

O único problema? Jack era um babuíno.

Jumper ensinou a Jack como usar os sinais do trem levantando um ou dois dedos e puxando as alavancas correspondentes. Jack também aprendeu coisas assistindo Jumper, como entregar chaves ao condutor.

Quando um trem parava na estação, disparava quatro toques de seu apito, sinalizando que o condutor precisava de uma chave. Assim que ouvia os apitos, Jumper pegava as chaves e mancava lentamente até o condutor. Jack percebeu isso e, depois de apenas alguns dias, concluiria a tarefa por conta própria.

Eventualmente, ele poderia operar os sinais ferroviários por conta própria, sob a supervisão de Jumper. Ele até se tornou uma espécie de celebridade local e as pessoas vinham de toda a Cidade do Cabo para ver o babuíno operar os trilhos.

No entanto, a ideia de um babuíno operando os trens foi preocupante para algumas pessoas e um cidadão preocupado alertou as autoridades ferroviárias.

Aparentemente, embora muitas pessoas no escritório de administração soubessem que Jumper havia contratado um assistente, o fato de ser um macaco de alguma forma passou despercebido.

Babuíno, ferrovia
Wikimedia Commons – Jumper e Jack, operando os interruptores de trem.

Um gerente de ferrovia foi imediatamente despachado para a estação para demitir Jack e Jumper, mas quando ele chegou, Jumper implorou por seus empregos, oferecendo ao gerente para testar as habilidades do babuíno Jack. Pensando que não havia como o babuíno ser tão competente quanto Jumper alegava, o gerente consentiu.

Ele instruiu um engenheiro a soar o apito de um trem e assistiu, chocado, enquanto Jack fazia as mudanças corretas de sinal. Aparentemente, Jack nunca desviou o olhar do trem, garantindo que seu trabalho estivesse correto.

O gerente da ferrovia ficou impressionado e, eventualmente, deixou Jumper ter seu emprego de volta. Ele até fez de Jack, o babuíno, um funcionário oficial, pagando-lhe 20 centavos por dia e meia garrafa de cerveja por semana pelo seu trabalho pelos próximos nove anos.

Ainda mais surpreendente – Jack, o babuíno, nunca cometeu um erro.

Após nove anos no trabalho, Jack contraiu tuberculose e faleceu. Seu crânio, no entanto, permanece no Museu Albany em Grahamstown, África do Sul.

Leia também:

Bebê é criado com chimpanzé em estudo cruel – veja o resultado

 

Temporal em Petrópolis, RJ e records de chuvaExpulsos do Big BrotherCuriosidades – GTA V