Aquecimento generalizado dos oceanos vai acorrer até 2050

Um estudo publicado na revista Nature Communications descobriu que a mudança climática afetará até 86 por cento dos oceanos do mundo nas próximas décadas – e que ainda não é tarde para fazer algo a respeito. Aquecimento generalizado dos oceanos vai acorrer até 2050, dizem especialistas: 

Aquecimento generalizado dos oceanos vai acorrer até 2050

NASA/KATHRYN HANSEN VIA FLICKR CREATIVE COMMONS // CC BY 2.0

 

O Coupled Model Intercomparison Project (Projeto de Intercomparação com Modelo Acoplado) é uma colaboração em grande escala de cientistas atmosféricos e climáticos de todo o mundo. A quinta fase do projeto, que terminou em 2014, rendeu 20 modelos diferentes, ou simulações, do clima do nosso planeta no passado, presente e futuro.

Para o estudo mais recente, os pesquisadores combinaram dados de 12 dos 20 modelos, com foco em como as mudanças climáticas podem afetar os oceanos.

Os resultados foram sombrios.

Se os humanos continuarem a continuar a degradar o meio ambiente, dizem os pesquisadores, podemos esperar um aquecimento e acidificação significativos em mais de quatro quintos do oceano.

Em uma escala global, isso significará o derretimento das calotas polares e a elevação do nível do mar. Também afetará milhões de espécies marinhas, incluindo aquelas essenciais para a dieta e indústria humana. A mudança das águas forçará as espécies do plâncton aos ursos polares a se adaptarem, migrarem ou morrerem.

 

Veja também:

Mudança climática X aquecimento global: qual é a diferença?

Continue com: Aquecimento generalizado dos oceanos vai acorrer até 2050

 

A migração não será uma opção para as espécies de água fria, disse à Reuters a autora principal Stephanie Henson, do Centro Nacional de Oceanografia Britânico. “Os peixes do Ártico não têm para onde ir.”

“Como as espécies individuais se sairão, ou como o ecossistema, como a soma de suas partes, será mal compreendido”, escrevem os autores. “O que está claro, entretanto, é que provavelmente haverá vencedores e perdedores no oceano futuro.”

Mas nem tudo eram más notícias. Essas previsões são baseadas em um futuro no qual os humanos falharam em proteger o planeta. Não é tarde demais, dizem os pesquisadores, para fazermos melhor.

“A exposição dos ecossistemas marinhos ao estresse induzido pelas mudanças climáticas pode ser drasticamente reduzida por meio de medidas de mitigação do clima”, escrevem eles. Quanto mais medidas tomarmos para mitigar as mudanças climáticas, mais tempo seremos capazes de dar às espécies marinhas para se adaptar e sobreviver.