Duas coisas que todos deveriam ter antes de começar a investir

Duas coisas que todos deveriam ter antes de começar a investir: Desde que a Covid-19 começou, mais e mais pessoas entraram no mercado de ações pela primeira vez. Com os preços das ações despencando, era uma oportunidade perfeita para comprar ações de empresas por uma fração do preço.

Se você também está pensando em entrar no mercado, considere primeiro se você pode realmente investir.

Se você tem dinheiro extra disponível ou apenas sabe que precisa começar, investir agora pode parecer um tanto óbvio.

No entanto, há duas coisas que você deve ter certeza de ter descoberto de antemão: uma maneira de reduzir o dinheiro para gastos para caber em seu orçamento e um fundo de emergência saudável para garantir que você não terá que vender seus investimentos prematuramente.

Vamos decompô-los.

 

Veja também:

Os 20 medos que impedem você de ficar rico

Continue com: Duas coisas que todos deveriam ter antes de começar a investir

Duas coisas que todos deveriam ter antes de começar a investir

@Austin Distel/Unsplash

01. Ajuste o investimento em seu orçamento

Investir sempre parece uma ótima ideia, até que você perceba que todo dinheiro que você investe é dinheiro que você tira ao poder gastar em outras coisas, como comida, viagens ou entretenimento.

Se você já está vivendo de salário em salário ou continuamente tem dívidas de cartão de crédito, então precisa dar um passo para trás e olhar para onde seu dinheiro está indo e se realmente faz sentido investir.

Ao criar primeiro um orçamento e, em seguida, estabelecer uma linha para o que será investido, você evitará surpresas no que diz respeito ao fluxo de caixa do mês.

Se você não ajustar seus gastos de acordo com o valor que está sendo investido, é provável que você recorra aos cartões de crédito ou tenha que vender esses investimentos mais tarde, a fim de cobrir uma escassez – nenhum dos quais são situações ideais.

02. Mantenha um fundo de emergência separado

Vamos tomar como exemplo um consultor financeiro que, atende clientes que chegam com uma “emergência” – um carro quebrado, porém sem nenhum funde de emergência.

Eles vão até o escritório deste consultor, pedindo para vender seus investimentos para que possam liberar dinheiro para aplicar em sua emergência.

A liquidação antecipada de investimentos resulta em uma penalidade e às vezes em um evento tributável, bem como impede que o dinheiro cresça com juros compostos.

Se esse cliente tivesse criado um fundo de emergência, a venda dos investimentos não teria que ser a única opção.

Ele poderia ter usado esse fundo de emergência para pagar pela “emergência”, sem sacrificar suas metas financeiras de longo prazo.

Antes de investir, certifique-se de ter pelo menos três a seis meses de despesas em uma conta poupança de fácil acesso.

Isso permitirá que você respire fundo se um custo inesperado surgir, e você não terá que vender imediatamente seus investimentos para cobrir o custo.

Garantir que você contabilizou o investimento em seu orçamento, além de ter certeza de que tem economia suficiente para cobrir uma emergência, ajudará a garantir que o investimento seja uma experiência livre de estresse que você possa manter a longo prazo.