Genial.club

A verdadeira razão pela qual sentimos calafrios na espinha


@ISTOCK.COM/MARTIN-DM

Imagine isto:

Você está sentado em seu sofá no escuro sozinho, assistindo a um filme de terror. O assassino está caminhando em direção a uma vítima inocente e, de repente, salta sobre ela. Naquele momento, os pelos do seu corpo se arrepiam e você sente um arrepio na espinha.

Quando você sai para uma caminhada em uma manhã fresca, a mesma coisa acontece.

Quando o som aumenta durante a sua música favorita, você sente arrepios de novo, desta vez com pequenos arrepios nos braços que aparecem quando você tem essa sensação.

Há um bom motivo para arrepios:

eles são a resposta do seu corpo à emoção ou ao estresse. Pegamos isso de nossos ancestrais animais.

Quando estavam com frio, os pelos de seus corpos se eriçavam – o movimento do músculo eretor do pilus fazia com que a pele se contraísse, levantando cada fio de cabelo – para fornecer uma camada extra de isolamento.

Essa resposta também está em jogo quando os animais se sentem ameaçados: sua reação natural é tentar parecer maior do que o agressor, de modo que sua pele e cabelo se expandam para exercer esse efeito. A parte do cérebro chamada hipotálamo é o que controla essa reação.

Então, por que aparecem arrepios – também conhecidos como cutis anserina ou piloereção – além do propósito funcional de parecer maior ou criar isolamento?

É porque nossas emoções também estão conectadas com o hipotálamo, então às vezes arrepios são apenas o nosso corpo reagindo aos sinais de emoções intensas do nosso cérebro.

Quando sentimos coisas como amor, medo ou tristeza, o hipotálamo envia um sinal a nosso corpo que produz adrenalina em nosso sangue. O sinal faz com que os músculos eretores do pilus se contraiam e, então, temos arrepios causados ​​pela emoção. O aumento repentino da adrenalina também pode causar suor nas mãos, lágrimas, aumento da pressão arterial ou calafrios.

Quando ouvimos música e sentimos arrepios, é uma mistura de emoções subjetivas em relação à música e excitação fisiológica. Se ouvimos uma música que nos deixa entusiasmados, ou uma música que nos deixa tristes, o hipotálamo reage à súbita mudança na emoção e sentimos fisicamente um arrepio na espinha.


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Oops, você está offline.