Síndrome rara faz mulher ser atacada por suas mãos

Imagine ser atacado por uma de suas próprias mãos, que repetidamente tenta esbofeteá-lo e socá-lo. Ou você entra em uma loja e quando tenta virar à direita, uma de suas pernas decide que quer ir para a esquerda, deixando você andando em círculos. Síndrome rara faz mulher ser atacada por suas próprias mãos, entenda o caso:

Síndrome da mão alienígena

Karen Byrne, de Nova Jersey, sofre de síndrome da mão alienígena.

Sua mão esquerda, e ocasionalmente sua perna esquerda, se comporta como se estivesse sob o controle de uma inteligência alienígena.

O estado de Karen é fascinante, não apenas por ser tão estranho, mas porque nos diz algo surpreendente sobre como nosso cérebro funciona.

Tudo começou depois que Karen fez uma cirurgia aos 27 anos para controlar sua epilepsia, que dominava sua vida desde os 10 anos.

A cirurgia para curar a epilepsia geralmente envolve a identificação e o corte de uma pequena parte do cérebro, de onde se originam os sinais elétricos anormais.

 

Veja também:

A estranha história do homem que não conseguiam enforcar

Continue com: Síndrome rara faz mulher ser atacada por suas próprias mãos

 

Quando isso não funciona, ou quando a área danificada não puder ser identificada, pode ser oferecido aos pacientes algo mais radical. No caso de Karen, seu cirurgião cortou seu corpo caloso, uma faixa de fibras nervosas que mantém as duas metades do cérebro em contato constante.

O corte do corpo caloso curou a epilepsia de Karen, mas a deixou com um problema completamente diferente. Karen me disse que inicialmente tudo parecia estar bem. Então, seus médicos notaram um comportamento extremamente estranho.

“O Dr. O’Connor disse ‘Karen, o que você está fazendo? Sua mão está despindo você’. Até ele dizer que eu não tinha ideia de que minha mão esquerda estava abrindo os botões da minha camisa.

“Então, comecei a reabrir com a mão direita e, assim que parei, a mão esquerda começou a desabotoá-los. Então, ele fez uma ligação de emergência para um dos outros médicos e disse: ‘Mike, você tem que vir aqui, temos um problema ‘.”

Fora de controle

Karen saiu da operação com a mão esquerda fora de controle.

“Eu acendia um cigarro, equilibrava em um cinzeiro, e então minha mão esquerda se esticava e o apagava. Tirava coisas da minha bolsa e eu não perceberia, então iria embora. Perdi muitas coisas antes de perceber o que estava acontecendo. ”

O problema de Karen foi causado por uma luta pelo poder acontecendo dentro de sua cabeça. Um cérebro normal consiste em dois hemisférios que se comunicam através do corpo caloso.

O hemisfério esquerdo, que controla o braço e a perna direitos, tende a ser onde residem as habilidades linguísticas. O hemisfério direito, que controla o braço e a perna esquerdos, é amplamente responsável pela consciência espacial e pelo reconhecimento de padrões.

Normalmente, o hemisfério esquerdo mais analítico domina, tendo a palavra final nas ações que realizamos.

A descoberta da dominância hemisférica tem suas raízes na década de 1940, quando os cirurgiões decidiram pela primeira vez tratar a epilepsia cortando o corpo caloso. Depois de recuperados, os pacientes pareciam normais. Mas nos círculos da psicologia eles se tornaram lendas.

Isso porque esses pacientes, com o tempo, revelariam algo – cada uma das duas metades de nossos cérebros contém uma espécie de consciência separada. Cada hemisfério é capaz de sua própria vontade independente.

Experimentos cerebrais

O homem que fez muitos dos experimentos que primeiro provaram isso foi o neurobiologista Roger Sperry.

Em um experimento particularmente impressionante, que ele filmou, podemos observar um dos pacientes com cérebro dividido tentando resolver um quebra-cabeça. O quebra-cabeça exigia a reorganização dos blocos para que correspondessem ao padrão da imagem.

Primeiro, o homem tentou resolver o problema com a mão esquerda (controlada pelo hemisfério direito), e essa mão era muito boa nisso.

Então Sperry pediu ao paciente para usar a mão direita (controlada pelo hemisfério esquerdo). E essa mão claramente não tinha ideia do que fazer. Então a mão esquerda tentou ajudar, mas a direita não quis ajuda, então eles acabaram lutando como duas crianças pequenas.

Experimentos como esse levaram Sperry a concluir que “cada hemisfério é um sistema consciente por si só, percebendo, pensando, lembrando, raciocinando, desejando e emocionando”.

Em 1981, Sperry recebeu o prêmio Nobel por seu trabalho. Mas em uma reviravolta cruel do destino, ele próprio sofria de uma doença cerebral degenerativa fatal.

A maioria das pessoas que tiveram seu corpo coloso cortado parecem normais depois. Você poderia cruzá-los na rua e não saberia que nada havia acontecido.

Karen não teve sorte. Após a operação, o lado direito do cérebro recusou-se a ser dominado pelo esquerdo.

Ela sofre da Síndrome da Mão Alienígena há 18 anos, mas felizmente para Karen, seus médicos agora encontraram um medicamento que parece ter colocado o lado direito de seu cérebro de volta sob alguma forma de controle.

Mesmo assim, vamos concordar que ao cumprimentar, dar um aperto de mão firmes nas duas mãos parece ser o mais sensato.