A real utilidade dos moinhos de vento na Holanda

Os moinhos de vento inspiraram Cervantes a escrever a cena mítica onde Dom Quixote, acompanhado sempre por Sancho Pança, lutava contra os moinhos de vento pensando que esses eram gigantes. Mas estes moinhos holandeses ainda existem? Se existem, qual é a real utilidade dos moinhos de vento na Holanda?

@Arena / Representação gráfica de Dom Quixote

Hoje são cerca de 1.000 moinhos ainda em funcionamento e espalhados por toda a Holanda.

E você sabia que os moinhos de vento ajudam a drenar a água das terras baixas, ajudando a cultivar as terras e não deixando a água parada, uma vez que existe pouco movimento nas águas dos canais.

A identidade holandesa é baseada em muitos elementos, mas três símbolos são muito representativos: as tulipas, os tamancos e os moinhos! No entanto, os moinhos de vento não são uma invenção dos holandeses, há referências destes artefatos no século V na região conhecida hoje como Irã, mas também aparece simultaneamente na região do Afeganistão e eram usados na fabricação de farinha (moenda) e também com uso destinado ao bombeamento de água.

Para os “batavos” (Nome tribal que deriva de bat “excelente” e avjo “terra”, uma referência à fertilidade da região, ainda hoje conhecida como o principal centro de produção agrícola dos Países Baixos (a Betuwe).

@Dreamstime

A importância era drenar a água das terras baixas de volta para os rios, além dos diques, para que então a terra pudesse ser cultivada. Afinal, quase 30% (trinta porcento) da Holanda fica abaixo do nível do mar. Isto equivale dizer que mais de um quarto do país está abaixo do nível do mar (o que significa, mais ou menos, 60% da população total residindo “abaixo do nível da água, já que estes locais são os mais populosos”).

Hoje, estes mil moinhos de vento que ainda resistem em todo o território holandês, têm funções das mais distintas possíveis, alguns abrigam museus ou residências e também servem como atrativos turísticos dos mais diversos tipos, além é claro, de operarem em suas funções originais na drenagem e moagem.

Quem já foi para a Holanda com certeza já viu um dos maiores símbolos do país. É aquela história: Você já desce do avião procurando um moinho, às tulipas, os tamancos de madeira! E claro! vaquinhas holandesas. Você pode até encontrar isso tudo no aeroporto, mas em forma de souvenir.

 

VEJA TAMBÉM:

9 dos labirintos mais legais do mundo que você pode visitar

Continue com: A real utilidade dos moinhos de vento na Holanda

@Holland International Study Centre

Antigamente, o número de moinhos era bem maior do que hoje – bem, era esperado né? Ao longo dos anos, os moinhos foram destruídos pela guerra, muitos inclusive desapareceram no ano de 1953 quando houve uma grande inundação na Holanda e infelizmente, também foram perdendo sua atividade e utilidade.

Hoje, em uma boa generalização, os moinhos holandeses são apenas pontos turísticos e poucos deles ainda continuam “exercendo” a verdadeira função.

Mas então, qual era a finalidade?

Ao contrário do que se pensa, os primeiros moinhos serviam para serrar a madeira que seria utilizada para construir os navios na época das grandes navegações, e por ser um país quase que tomado pelo oceano, isso é bem compreensível.

O primeiro moinho de vento construído com a finalidade de drenar as águas do mar foi edificado somente no ano de 1407, na cidade de Alkmaar, sendo um grande feito para os holandeses da Cia. das Índias Ocidentais.

@Perfecta

Estruturalmente eles funcionam “na base” do vendo, por isso o nome “moinhos de vento”. Acontece que na Holanda venta, mas não venta pouco, venta muito. Mas quando se diz que venta muito, é muito mesmo. Tem horas que é até difícil de andar. É o mesmo que você andar com um guarda chuva aberto contra um vendaval.
A medida que as pás externas giram, as maquinas internas também giram, fazendo com que as engrenagens movam a água e elevem-na para além dos diques. O moinho também gira externamente. Ou seja, o moinho também gira em direção ao vento.

Existem vários tipos de moinhos.

Uns mais baixos, outros mais altos, uns com uma forma, outros com outras, A variação que existe nos moinhos vai depender do ano em que ele foi construído.

@Holland.com

Existe um vilarejo, próximo a cidade de Rotterdam, onde existe a maior concentração destes moinhos. É o único lugar onde você vai encontrar uma quantidade tão grande de antigos moinhos juntos, que são datados de 1740. O lugar é patrimônio histórico da UNESCO.

Uma pena que estes moinhos que inspiraram Cervantes estão sumindo. Os moinhos de ventos estão sendo substituídos pelos geradores de energia eólica. Aquelas torres enormes com um “cata-vento” lá no alto. Há regiões da Holanda que você vê milhões deles juntos (próximo ao porto de Rotterdam, por exemplo). E, ao contrário de antigamente, o grande desafio deles é de conter o avanço do mar sob as terras que um dia os antigos moinhos de vento ajudaram a “conquistar”.

@Port of Rotterdam / Porto de Rotterdam

Depois da enchente de 53, o país criou o Ministério de Controle das águas. Este desenvolveu o Deltawerken (fazendo uma tradução grosseira, podemos chamar de Trabalho no Delta, ou controle das águas do Delta), que é um projeto que foi criado para construção de diques, represas e eclusas para conter o avanço do mar. O projeto demorou 50 anos para ficar pronto.

@Insider

E com relação ao uso para drenagem, depois de bombeada a água, a primeira plantação era sempre de tulipas, cuja função era corrigir a terra para receber outras culturas mais tarde. A cultura seguinte, quase sempre era de batatas.