Por que nossos dentes são sensíveis à dor

Em um dia bom, seus dentes podem mastigar um bife duro e partir um doce duro em pedaços sem que você sinta nada. Mas, às vezes, algo tão simples como um milkshake gelado pode enviar um choque através do dente que é ainda mais doloroso do que dar uma topada no dedão do pé. Mas por que nossos dentes são sensíveis à dor?

Por que nossos dentes são sensíveis à dor

A dor de dente dessa mulher está na verdade ajudando a evitar mais danos. @CHAMPJA / ISTOCK VIA GETTY IMAGES

 

Essa sensibilidade na verdade, é um mecanismo de defesa que desenvolvemos para proteger os dentes danificados de novas lesões.

 

Veja também:

Dinheiro pelos dentes: a lenda da fada do dente

Continue com: Por que nossos dentes são sensíveis à dor

 

Se você comer algo muito quente ou mastigar algo muito frio, ou se o dente estiver desgastado o suficiente onde o tecido subjacente fica exposto, todas essas coisas causam dor, e aí a dor faz com que a pessoa não use aquele dente para tentar protegê-lo um pouco mais.

Os dentes são compostos por três camadas:

Esmalte por fora, polpa por dentro e dentina entre as duas. A polpa, que contém vasos sanguíneos e nervos, é a camada que realmente sente dor – mas isso não significa que as outras duas camadas não estejam envolvidas.

Quando seu esmalte (que não está vivo e não pode sentir nada) está desgastado, ele expõe a dentina, um tecido que permitirá que substâncias especialmente quentes ou frias estimulem os nervos da polpa. A polpa não consegue sentir a temperatura, então ela interpreta quase todos os estímulos como dor.

Se você tiver uma dor de dente, entretanto, a polpa pode não ser a (única) culpada. O ligamento periodontal, que conecta os dentes ao osso maxilar, também pode sentir dor. Essa sensação dolorida que as pessoas às vezes têm por causa de um tratamento ortodôntico como o aparelho ortodôntico geralmente vem do ligamento periodontal, e não da polpa.

Para ajudá-lo a evitar dores de dente em primeiro lugar, aqui estão seis dicas para dentes mais saudáveis:

Por que nossos dentes são sensíveis à dor

@ISTOCK

Evite as amêndoas

Vários dentistas e higienistas sugerem uma dica importante para evitar uma visita após o expediente ao consultório do dentista para lidar com um dente lascado: evite amêndoas. A pequena noz resiliente é difícil de mastigar e pode comprometer coroas ou dentes já suscetíveis a lesões.

Não escove demais os dentes

Se você esfrega os dentes da mesma forma que esfrega os azulejos do banheiro – como se estivesse serrando uma tora ao meio – então está realmente prestando um péssimo serviço à saúde bucal. A placa que se acumula durante o dia é relativamente fácil de limpar com movimentos leves e suaves. Esfregar vigorosamente não é apenas um desperdício de energia, mas pode danificar a linha das gengivas.

Não pague a mais para uma escova elétrica

Se você não consegue quebrar o hábito de escovar em excesso, então uma escova de dentes elétrica vai ser sua nova melhor amiga. Escovas elétricas vibram ou oscilam sem a necessidade de auxílio manual, fazendo todo o trabalho por você; alguns até têm sensores que detectam se você está esmagando as cerdas contra os dentes com muita força. Mas não pense que você precisa do modelo de luxo para obter os benefícios.

 

Veja também:

25 fatos fascinantes sobre o corpo humano

Continue com: Por que nossos dentes são sensíveis à dor

 

Use uma placa noturna

Ranger, ou bruxismo, é uma condição na qual os indivíduos mordem ou cerram os maxilares enquanto dormem. O resultado pode ser dentes desgastados, lascados ou mesmo fraturados. Se o seu dentista recomendou que você use uma placa noturna, não é conversa fiada: usar uma pode impedir um grande trabalho de restauração no futuro.

Use um canudo

Dentistas que alertam contra bebidas ácidas como café, chá ou refrigerante sabem que seria melhor entrar em um debate com um tijolo – a cafeína é um hábito difícil de quebrar. Se você insiste em líquidos que podem prejudicar o esmalte dos dentes, opte por um canudo sempre que puder e tente enxaguar a boca com água após beber.

20 e poucos anos: preste atenção

Acha que a adolescência e a era pós-aposentadoria são o período mais importante para os dentes? Não tão rápido. Os dentistas descobrem que muitos jovens adultos de 21 a 25 anos correm o risco de desenvolver problemas que podem se tornar crônicos devido a um estilo de vida cada vez mais agitado (trabalho, escola) e a crença de que são jovens demais para se preocupar com isso. Por volta dos 20 anos, as doenças gengivais e as cáries começaram a criar raízes. (Literalmente.) Aproveite a sua juventude, mas não se esqueça dos dentes. (E não negligencie o uso do fio dental!)