10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

Confira 10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz e suas origens e seu protesto que fez história e como se inscrever para um tour.

10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

ROBYN BECK, AFP/GETTY IMAGES

Às 9h40 da manhã de 11 de agosto de 1934, o primeiro grupo de prisioneiros de Alcatraz – 137 ao todo – chegou à prisão que logo seria infame. Durante décadas, foi conhecido como o local de uma das prisões federais mais implacáveis ​​dos EUA. “Quebre as regras e você vai para a prisão”, dizia uma citação anônima. “Quebre as regras da prisão e você irá para Alcatraz.” Mas a Ilha de Alcatraz da Baía de São Francisco tem uma história que vai muito além de sua infâmia como comuna criminosa.

 

ALCATRAZ FOI UM AVANÇO MILITAR NA DÉCADA DE 1850.

Descrita pelo explorador espanhol Juan Manuel de Ayala em 1775, a Ilha de Alcatraz é o nome americanizado de Isla de los Alcatraces (Ilha dos Pelicanos). Após o fim da Guerra Mexicano-Americana em 1848, a Califórnia tornou-se propriedade dos Estados Unidos.

Na década de 1850, a ilha foi destinada pelas forças dos EUA para uma cidadela militar. Equipado com mais de 100 canhões, ele monitorou a atividade na baía de São Francisco para impedir invasores estrangeiros que buscavam lucrar com a corrida do ouro na Califórnia. (Mais tarde, foi usado para desencorajar os confederados de tentar tomar o controle de São Francisco na Guerra Civil.)

Essa presença fez com que alguns prisioneiros federais fossem alojados no local – um prenúncio da prisão para a população em geral que um dia se tornaria.

 

Veja também:

A história do Cecil, um dos hotéis mais assustadores do mundo

Continue com: 10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

 

OS INIMIGOS DE ALCATRAZ FORAM FORÇADOS A CONSTRUIR SUA PRÓPRIA PRISÃO.

OFF / AFP / GETTY IMAGES

Quando a necessidade de monitoramento armado da baía acabou, o Exército dos EUA desconstruiu a fortaleza, deixando apenas a fundação do porão intacta. De 1909 a 1911, os prisioneiros militares foram postos para trabalhar na construção de uma nova estrutura que abrigaria quartéis disciplinares para a Costa Oeste. (Esse prédio é o que existe hoje.)

Os militares transferiram a propriedade da ilha para o Departamento de Justiça em 1933, que foi quando Alcatraz se tornou sinônimo do pior dos piores, abrigando criminosos notórios como Al Capone e George “Machine Gun” Kelly.

A VIDA EM ALCATRAZ NÃO FOI TÃO RUIM.

Conhecida como a “Rocha”, Alcatraz desenvolveu uma reputação por separar os incorrigíveis da América do resto da população. Às vezes, as regras diziam que os prisioneiros nem podiam falar uns com os outros. Mas as condições dentro da prisão não eram tão duras quanto os filmes e a televisão retratariam mais tarde.

Os presos muitas vezes tinham sua própria cela e alguns até pediam para ser transferidos para lá porque o potencial para problemas violentos era baixo. O motivo pelo qual alguns dos criminosos mais notórios da época foram enviados para lá geralmente era devido à rotina rígida da instalação.

Os presos tinham pouca margem de manobra ou privilégios fora dos quatro princípios básicos: comida, abrigo, roupas e cuidados médicos. Uma vantagem? Chuveiros quentes. Os presos recebiam água morna para usar no banho, embora não fosse por motivos altruístas. Uma teoria diz que se os prisioneiros se acostumassem a aquecer água, eles congelariam se fizessem uma tentativa de fuga nas condições geladas da baía.

AS PROBABILIDADES ESCAPAR DE ALCATRAZ ERAM BAIXAS.

10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

DONALD MIRALLE / GETTY IMAGES

Muitos conhecem a história de Frank Morris, John Anglin e Clarence Anglin, que tentaram escapar da ilha prisão em 1962 usando uma jangada feita de capas de chuva. Ninguém sabe se os homens conseguiram, mas as probabilidades estavam contra eles.

Dos 36 homens que fugiram do local nos 29 anos em que esteve aberto (1934 a 1963), 23 foram recapturados, seis foram mortos por guardas e dois morreram afogados. Os cinco restantes – incluindo Morris e os irmãos Anglin – conseguiram chegar à água e desapareceram.

O SOFTBALL FOI UM PASSADO POPULAR.

Embora Alcatraz nunca fosse confundido com um clube de campo, os presidiários ainda tinham locais para praticar atividades físicas. Softball era o passatempo mais popular, com prisioneiros usando um diamante na área de recreação. As equipes organizadas jogaram usando entradas mais curtas; bolas passando por cima das barricadas eram eliminadas, não home runs.

Mas nem todo jogo correu bem. As equipes foram integradas, e isso ocasionalmente às tensões raciais. Durante um jogo de 20 de maio de 1956, os ânimos explodiram e facas improvisadas foram puxadas antes que os guardas pudessem restaurar a ordem.

GUARDAS DA PRISÃO DE ALCATRAZ MORAVAM NA ILHA COM SUAS FAMÍLIAS.

JUSTIN SULLIVAN / GETTY IMAGES

A vida em Alcatraz não era isolada apenas para os prisioneiros. Guardas e outros funcionários da prisão viviam na ilha em casas separadas que já foram quartéis da Guerra Civil. Seus filhos pescavam na baía e passavam o tempo em salões sociais que tinham sinuca e boliche.

As famílias costumavam fazer passeios de barco nos fins de semana para a vizinha Marin para comprar mantimentos e outros itens essenciais. Embora fossem proibidos de entrar em contato com os presos, alguns se divertiam assistindo aos recém-chegados usando algemas.

ALCATRAZ FOI FECHADA EM 1963 PORQUE ERA MUITO CARA DE MANTER.

Alcatraz não se fechava por causa de questões de direitos humanos ou porque a prisão era muito pesada, mesmo para o pior da sociedade. Fechou em 1963 pelo mesmo motivo de tão especial: a localização.

A água salgada continuou a erodir as estruturas, tornando excessivo o custo de manutenção dos edifícios. No dia a dia, Alcatraz custava US $ 10,10 por pessoa para ser mantido em dólares dos anos 1950, três vezes mais que a maioria das outras prisões federais. Também precisava de água doce trazida de barco a uma taxa de um milhão de galões por semana.

EM 1969, UM GRUPO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS OCUPOU ALCATRAZ EM PROTESTO.

10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

HULTON ARCHIVE / GETTY IMAGES

Em 1969, um grupo de estudantes universitários invadiu a prisão abandonada. Sua causa: chamar a atenção para a política do governo dos Estados Unidos de encerrar a soberania tribal e realocar os residentes nativos americanos para as cidades.

Richard Oakes, um estudante do San Francisco State College, liderou a ocupação, que durou um total de 19 meses. As autoridades se mudaram em 1971, quando o grupo – que tinha 400 pessoas em seu auge – diminuiu para apenas 15 pessoas. Durante o protesto, Richard Nixon reverteu a política em 1970, efetivamente encerrando a apreensão de terras indígenas pelo governo.

 

Veja também:

Fruto proibido: seis histórias chocantes de incesto na vida real

Continue com: 10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

 

ALCATRAZ É AGORA UMA DAS ATRAÇÕES TURÍSTICAS MAIS POPULARES DE SÃO FRANCISCO.

A Ilha de Alcatraz foi convertida em um parque e passou a fazer parte do sistema de parques nacionais dos EUA em 1972. Se você quiser um passeio, pode fazer reservas antecipadas e reservar uma balsa. Uma vez lá, um tour de áudio o levará pelos jardins, incluindo as células de luminares como Al Capone. Mais de 1,5 milhão de pessoas visitam anualmente.

ALCATRAZ FOI LITERALMENTE LARGADA AOS PÁSSAROS.

10 fatos sobre a famosa prisão de Alcatraz

JUSTIN SULLIVAN / GETTY IMAGES

Sem uma infraestrutura humana permanente, a Ilha de Alcatraz foi lentamente engolfada pelos invasores da natureza. Uma das primeiras atrações que os visitantes veem é um excedente de gaivotas ocidentais fixando residência em quase todas as superfícies. O serviço do parque oferece ainda um passeio pela vida das aves, que inclui 5.000 pássaros em nove espécies diferentes.

A população é adequada, já que o recluso mais famoso da prisão é amplamente considerado o “Homem-Pássaro de Alcatraz”, Robert Stroud. Depois de ser condenado por assassinato, Stroud começou a estudar ornitologia e era considerado um especialista quando chegou à ilha em 1942.