10 crenças populares comuns e totalmente falsas

As crenças populares são um tipo de lenda urbana. Geralmente eram transmitidos de geração em geração e consistiam em folclore, afirmações não verificadas e superstições com detalhes exagerados ou inverídicos. Hoje, esses contos são mais comuns entre as crianças, geralmente divulgando-os na escola ou enquanto eles se socializam.

Em algum momento de sua vida, você provavelmente já ouviu algum dos itens listado abaixo. Talvez tenha sido um avô, seu tio, mãe ou esposa que transmitiu o conhecimento. Embora suas intenções fossem boas, uma coisa é certa – as afirmações abaixo são 100% falsas.

Hoje listamos 10 crenças populares comuns e totalmente falsas:

Número 10: Chocolate causa acne

A verdadeira causa da acne é o acúmulo de células mortas da pele nos poros da pele, o excesso de oleosidade na pele e o acúmulo de bactérias. Nenhum desses fatores é desencadeado ou relacionado aos tipos de alimentos que uma pessoa ingere.

Também é importante notar que o consumo de alimentos gordurosos não faz com que sua pele produza mais óleo. Alimentos gordurosos, embora não sejam particularmente saudáveis, não causam oleosidade na pele e/ou produzem espinhas. O maior fator na produção de óleo da pele são as mudanças hormonais no corpo de uma pessoa.

 

Veja também:

10 mitos da ciência que você acredita, mas não deveria

Continue com: 10 crenças populares comuns e totalmente falsas

 

Número 9: Cenouras melhoram sua visão

Embora as cenouras sejam uma boa fonte de vitamina A, elas não melhoram a visão. O mito começou em grande parte como propaganda aliada durante a 2ª Guerra Mundial, quando rumores deliberados se espalharam de que os pilotos britânicos tinham excelente visão noturna graças a comer cenouras. Um mito iniciado com o propósito de impedir os nazistas de descobrirem que os britânicos estavam usando uma nova invenção – o radar.

As cenouras contêm vitamina A, que é boa para os olhos de uma pessoa. Comer um monte delas não fará nada para melhorar sua visão ou visão noturna.

Número 8: pegar um resfriado

Embora gripes e resfriados sejam mais prevalentes durante os meses de inverno, é um completo mito que isso tenha algo a ver com a temperatura real ou com o frio.

De acordo com a American Lung Association, as infecções persistem porque é a época do ano em que os vírus costumam se espalhar por todo o país. Isso se deve ao fato de mais pessoas permanecerem em casa e em contato mais próximo umas com as outras e com seus germes/vírus.

Número 7: Barbear faz com que o pelo cresça mais espesso

Um estudo publicado na revista Anatomical Record descobriu que o barbear não tem efeito sobre a taxa de crescimento, cor ou textura do pelo. Outro estudo publicado no Journal of Investigative Dermatology não encontrou “nenhuma diferença significativa no peso total do pelo produzido em uma área medida, ou na taxa de crescimento de cabelos individuais que poderiam ser atribuídas ao barbear”. Portanto, fique à vontade para fazer a barba quando necessário.

Número 6: estalar os dedos leva à artrite

Não há nenhuma evidência científica, estudo ou prova de que estalar os nós dos dedos cause artrite – no entanto, há sugestões de que isso pode levar a outros problemas com os nós dos dedos mais tarde na vida.

 

Veja também:

18 coisas óbvias confirmadas pela ciência

Continue com: 10 crenças populares comuns e totalmente falsas

 

Número 5: alimente a gripe, deixe a febre à fome

Morrer de fome nunca é a resposta correta. Tentar passar fome, ou limitar sua ingestão nutricional, colocará mais estresse em seu corpo em um momento em que ele já está estressado.

Acredita-se que a história tenha se originado da falta de compreensão do processo de adoecimento. Na época, as pessoas acreditavam que havia dois tipos de doenças – as causadas por baixa temperatura (calafrios e resfriados) e as causadas por altas temperaturas (febres). Se você estava com febre, não queria que seu corpo superaquecesse, então você cortou a fonte de combustível (comida). Se você estava resfriado, queria atiçar o fogo interior, então comia.

Número 4: a TV prejudicará a visão

Esse mito persiste porque, na década de 60, a GE lançou novos aparelhos de TV em cores que emitiam quantidades incrivelmente altas de radiação – alguns até 100.000 vezes mais do que os oficiais de saúde federais considerados seguros.

A General Electric rapidamente convocou e consertou os aparelhos de TV com defeito, mas a lenda urbana perdura até hoje. O mesmo se aplica à leitura com pouca luz ou no escuro – nenhum dos dois prejudica a visão.

Número 3: alimentos picantes causam úlceras

Nos anos 50 e 60, os médicos pensavam que alimentos picantes causavam úlceras e, como resultado, colocavam as pessoas em dietas leves. No entanto, no início dos anos 80, os pesquisadores descobriram que a comida picante não estava causando úlceras, embora ainda possam irritar as existentes.

Essa sensação de queimação no estômago pode ser uma úlcera, mas não foi causada pelo consumo de comida apimentada. Também é possível que uma pessoa simplesmente seja alérgica ou muito sensível ou que você tenha refluxo ácido.

Número 2: não coma antes de nadar

Na verdade, é provavelmente melhor comer antes de nadar, porque comer nos fornece energia.

Muitos nadadores profissionais são magros e não têm muita gordura corporal para queimar, o que significa que precisam se manter abastecidos para nadar. Eles fazem isso comendo um pouco antes de nadar. O mito provavelmente começou com as pessoas comendo demais e sentindo os efeitos de comer demais.

Número 1: sapos podem causar verrugas

Antigamente, ninguém sabia sobre vírus. Graças à ignorância, crenças populares surgiram para explicar o súbito aparecimento de verrugas em indivíduos saudáveis. Diz-se que uma criança que desenvolveu uma verruga nas mãos manipulou um sapo ou foi urinada por um sapo. Acreditava-se que um sapo poderia passar seus caroços para uma pessoa. Também foi alegado que uma pessoa pode pegar verrugas lavando as mãos com água usada para ferver ovos.